SECRETÁRIO NACIONAL DA PJ PARTICIPA DE REUNIÃO PRÉ-SINODAL NO VATICANO

Davi posa para foto durante reunião com o Papa Francisco ao fundo

Davi posa para foto durante reunião com o Papa Francisco ao fundo

O secretário nacional da PJ, Davi Rodrigues, já está em Roma, na Cidade do Vaticano, para a reunião preparatória para o Sínodo da Juventude, que acontece em outubro. Ele integra um grupo junto a cerca de 300 representantes dos cinco continentes, incluindo mais quatro brasileiros/as. O encontro teve início nesta segunda-feira (19) e vai até sábado (24).

Na abertura da reunião, o Papa Francisco demonstrou alegria em receber os/as jovens e exortou: “Queridos jovens, o coração da Igreja é jovem precisamente porque o Evangelho é como uma linfa vital que a regenera continuamente”. O pontíficie pediu coragem aos/as presentes para que possam expor o que pensam e desejou que os trabalhos tenham êxito.

Para Davi, o momento é oportuno para levar as contribuições e reflexões dos mais de 45 anos de caminhada da Pastoral da Juventude no Brasil. Ele explica que a temática do Sínodo, intitulada “Os jovens, a fé e o discernimento vocacional”, especificada em documento preparatório, aborda aspectos que vão de encontro às construções feitas pela PJ recentemente. Para isso, o secretário elencou a temática das “Galileias Juvenis” como aspecto de destaque. O tema ganhou essa nomenclatura a partir da Ampliada Nacional do Crato/CE, quando a PJ começou a refletir as diferentes realidades juvenis a partir da memória teológica do lugar bíblico da Galileia.

“É impossível não comparar com nossa caminhada e reflexão pastoral dos últimos anos, em especial ao tratarmos das Galileias Juvenis como o lugar privilegiado do encontro com o Mestre. Galileias essas que, para nós, são os lugares dos sofrimentos e explorações juvenis. É o lugar para qual somos vocacionados/as, ou seja, chamados/as a estarmos, para lá nos descobrirmos cada vez mais discípulos/as missionários/as, anunciadores/as de um mundo de justiça e fraternidade”, salientou.

Davi ressalta que, além das reflexões teológicas, outras ações concretas da PJ podem fomentar as discussões, em especial a “Campanha Nacional de enfrentamento aos ciclos de violência contra a mulher”. “A proposta da campanha se mostra em perfeita harmonia com a colocações contidas na página 18 do material de preparação para as reuniões pré-sinodais, onde se aborda  as variações geográficas e culturais que existem no mundo. Ao tratar da realidade juvenil, ressalta como a diferença de gênero (homem e mulher) ‘é origem de formas de dominação das quais toda a sociedade tem necessidade de se libertar’ e, também, ao falar dos contextos de injustiça social ressalta: ‘para as jovens mulheres estes obstáculos são normalmente mais árduos para superar’ (pág. 24)”, reforçou.

            A expectativa do jovem é da construção de um caminho de fraternidade, como ele definiu. Para Davi, o momento pede abertura ao diálogo e uma posição firme de fraternidade e construção de pontes para enfrentar o que ele destaca ser o crescimento da intolerância e do “diabólico da divisão”.

 

O SÍNODO

            A delegação brasileira é formada por cinco jovens, incluindo Davi. Integram o grupo: a participante do movimento Milícia da Imaculada e membro da Equipe Nacional de Comunicação da Pastoral Juvenil – Jovens Conectados, Juliene Barros; a representante da Juventude Missionária Redentorista e representante das congregações religiosas na Coordenação da Pastoral Juvenil Nacional, Ariany Leite; o representante do Movimento Apostólico de Schoenstatt Internacional, Lucas Galhardo e o assessor nacional da Cáritas Brasileira para a área de atuação de infância, adolescência e juventudes e membro do Fórum de Jovens da Cáritas Internationalis, Leon Souza.

Além deles, jovens das mais diferentes atuações no meio eclesial representam países de todos os continentes. Uma novidade é o convite para que ateus participem das discussões e contribuam no debate sobre a atual realidade das juventudes.

Para o Papa Francisco, o Sínodo busca desenvolver condições e ambiente para um efetivo acompanhamento dos/as jovens em seu discernimento vocacional. Desafio que anima Davi a enxergar nesse momento uma oportunidade de construir uma Igreja com rosto mais jovem e mais propensa à luta pela edificação do Reino.

“O Sínodo é um momento importante para a efetivação de uma Igreja cada vez mais em saída, pois é um instrumento que visa integrar e aumentar a pluralidade de vozes e interlocutores sobre temas contemporâneos. Ao meu ver, é um instrumento que pode ajudar a perceber, na voz dos diversos pastores, os sinais dos tempos e os clamores do Espírito”, concluiu.

O texto preparatório pode ser acessado aqui.

Texto: Vinícius Borges
Caricatura: autoria do artista Romahs Mascarenhas

Nenhum Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

 Pastoral da Juventude

Site oficial da Pastoral da Juventude, organização de jovens ligada à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB