Juventude participa de ações missionárias e noite cultural no terceiro dia de Encontro

Por Kelton Pinho e Vitória Correia

Os jovens que participam do 12º Encontro Nacional da Pastoral da Juventude (ENPJ) realizaram ações missionarias nas paróquias dos municípios de Rio Branco e do Bujari, no interior do Estado, durante a última terça-feira, 9. Ao final do dia, os delegados participaram da Noite Cultural, que aconteceu em 13 paróquias da capital do Acre.

Família recebe jovens do ENPJ (Foto: Larissa Oliveira)

Família recebe jovens do ENPJ (Foto: Phamela Conde).

Antes de iniciar o dia missionário, a juventude do ENPJ vivenciou uma breve mística de envio. Os delegados foram divididos em equipes para visitarem 21 espaços de missão, distribuídos entre as paróquias da diocese e a Penitenciária Francisco de Oliveira Conde (FOC).

Francisca Eugênia, 68 anos, acolheu alguns jovens na Comunidade Nossa Senhora Aparecida, pertencente a Paróquia São João Batista, no Bujari, interior do Acre. Segundo ela, acolher essa juventude que vem de diversos lugares do Brasil, conhecendo as realidades locais, é motivo de muita alegria. “Ver jovens levando a palavra de Deus é a coisa mais linda, pois não vemos muito isso hoje em dia, somente notícias tristes. Então, perceber os jovens nessa caminhada é algo que me chama bastante atenção”, afirmou Eugênia.

O delegado Gabriel Garcia, representante do Regional Leste 1, da Arquidiocese de Niterói, no Rio de Janeiro, esteve em missão na Paróquia Santa Rita de Cassia, e contou que a experiência missionária no Encontro é bastante valiosa para a vivência das realidades locais do Estado do Acre.

Delegados conhecem realidades locias no interio do Acre (Kelton Pinho).

Delegados conhecem realidades locias no interio do Acre (Foto: Kelton Pinho).

“A missão é a concretização de tudo aquilo que a gente fala durante a caminhada pastoral. Então, ter contato de verdade com uma cultura diferente, indo além das fantasias e das abstrações que a gente cria, significa realmente viver o Evangelho. Não adiantaria a gente vir aqui para o Acre, teorizar sobre muita coisa e não colocar o pé no chão, o pé na terra batida, nas estradas de chão e bater na casa das pessoas”, ressaltou.

 Mariana Silva, referencial local da equipe de Missão e Inserção Sociocultural, comentou a intenção de realizar essa experiência à delegação do ENPJ. “Uma das nossas principais preocupações de organizar essa missão era poder contemplar e apresentar para as delegações de todo o país as nossas realidades, por ser um encontro celebrativo queríamos celebrar essa juventude da área rural, ribeirinha, descendência indígena, área periférica e nós conseguimos alcançar esses extremos da realidade da nossa diocese”, explicou Mariana.

Noite Cultural

Como parte da programação do dia os delegados foram encaminhados para suas paróquias de referência e participaram da Noite Cultural. O evento aconteceu em 13 paróquias, sendo diferenciada em cada uma delas, mas abordando a mística do Encontro, como a figura do seringueiro, do índio e dos ribeirinhos.

Juventude na Noite Cultural na paróquia Santa Clara (Foto: Thawana Alexandrino)

Juventude na Noite Cultural na paróquia Santa Clara (Foto: Thawana Alexandrino).

Segundo o referencial local da equipe de Animação e Cultura, Diego Castro, o momento foi pensado para que a delegação conhecesse as realidades juvenis das igrejas, além de ser um momento de partilha das experiências missionárias que tiveram ao longo do dia. “Propomos a cada coordenação paroquial que a noite cultural fosse mostrasse a sua realidade, seu jeito de ser pejoteiro. Nós, equipe de Animação e Cultura, nos preocupamos em alguns momentos, pois determinadas paróquias estavam com dificuldade, mas direcionamos e deixamos os grupos de base e as coordenações paroquiais bem à vontade para mostrarem aos delegados aquilo que os identifica”, esclareceu Castro.

Para o delegado Wagner Oliveira, da Diocese de Santa Cruz do Sul, pertencente ao Regional Sul 3, ao momento foi uma oportunidade de aproximação entre todos. “Acho que a Noite Cultural foi um momento de nós, de fato, olharmos para o rosto do outro, questões de muitas vezes nós não nos vermos durante o dia, as vezes apenas por poucos minutos, olhamos no rosto um do outro, mas não temos um momento de escuta, de estar próximo daqueles que estamos na mesma paróquia”.

A programação desta quarta-feira, 10, contou com uma Leitura Orante da Bíblia pela manhã, diálogos à beira do poço que acontecem a tarde, além da Celebração Ecumênica, marcada para as 20h no Teatro Universitário da Ufac, aberta para a comunidade em geral.

Nenhum Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

 Pastoral da Juventude

Site oficial da Pastoral da Juventude, organização de jovens ligada à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB