É tempo de encontros!

 comum2

É tempo de encontros!

2º domingo do tempo comum.

1° leitura: 1Sm 3, 3b -10.19

Salmo 39

2° leitura: 1Cor 6, 13c- 15a . 17-20

Evangelho: Jo 1, 35 -42

 

Hoje estamos terminando o 12º ENPJ – Encontro Nacional da Pastoral da Juventude, acolhido pelo Regional Noroeste, na Diocese de Rio Branco no Acre. Encontro forte e sensível que teve a ousadia de trazer como lema “Txai: da seiva da vida, a Festa do Bem Viver.” Sim! A Pastoral da Juventude nacionalmente sai da Ampliada de Crato/CE, planejando sua vida e missão a partir das galileias juvenis e agora busca diálogos à beira do poço[i], para junto com os povos originários e tradicionais encontrarmos “a outra metade de nós”.

 

Mas o evangelho que foi proclamado na liturgia de hoje traz consigo a iluminação bíblica do 11º ENPJ que aconteceu em Manaus no ano de 2015. Lá, a pergunta feita pelos discípulos que se encantavam por Jesus, “Mestre, onde moras?” e a resposta Dele, “Vinde e vede!” iluminava aquele encontro que se dispunha a no encontro das águas, partilharmos a vida, o pão e a utopia.

 

O bonito disso é que Manaus na celebração de abertura nesta última segunda feira, 8, passava o estandarte para Rio Branco. Os ENPJ não são estanques, mas sim continuidades com o frescor das novidades que o Espírito nos dá quando nos encontramos e partilhamos.

 

E é justamente de encontros que estamos falando na liturgia deste domingo. Encontros que são marcantes, que são capazes de mudar vidas, de mudar o rumo da história.

 

A comunidade de João ao nos contar como se deram os chamados dos primeiros discípulos foi mais generosa na descrição de como aconteceu. E estas minúcias nos fazem chamar atenção para dois fatos: o encantamento e as leituras mesmos.

 

Os discípulos de João Batista escutaram dele uma profissão de fé em relação a Jesus: Eis o Cordeiro de Deus! Este título é na verdade uma importante conexão entre o Povo de Deus que saiu do Egito e aqueles/as homens/mulheres contemporâneos a Jesus. Na saída da escravidão para a Terra Prometida, o sangue de cordeiro foi espalhado nos portais das casas, e Jesus agora era o cordeiro de Deus, símbolo da nova e eterna aliança.

Vinde e vede!

Os dois discípulos ao escutarem João, seguiram Jesus e ficaram com ele este dia. E ficaram após o convite terno e comprometedor feito por Jesus. Vinde e vede!  Da ternura, imaginemos Jesus andando pelas estradas e trilhas da Palestina mostrando aos discípulos onde morava, contando histórias e fazendo-lhes aquecer o coração. Foi um dia memorável! Tanto que ao saírem de lá, André, irmão de Simão lhe contou da experiência e o levou até Jesus e este também ao estar com Ele passou a ser Cefas (que quer dizer pedra ou Pedro). Do comprometimento, Jesus pedagogicamente nos ensina que só se faz experiência quando se conhece de perto. Frei Betto diz que “a cabeça pensa a partir de onde nossos pés pisam”. Assim Jesus faz os discípulos fazer a experiência a partir da concretude da vida e das relações. Não basta falar, contar como é… é preciso estar junto, fazer-se presente, ser presente!

 

Percebam que no texto bíblico aparecem mais dois títulos atribuídos a Jesus; Rabi, que significa Mestre e Messias, que quer dizer Cristo. Cada título é dado segundo a leitura relacional da pessoa/comunidade com Jesus e revela muito de como esta relação está estabelecida. Ainda hoje temos muitos títulos dado a Jesus, o que cada um deles querem dizer e qual a relação com Ele que se evidencia, que leituras podemos fazer?[ii]

 

Dizíamos de encantamento e pergunto: se somos cristãos, as pessoas ao passarem por nós saem contagiadas pela vida e pela proposta de Jesus? Paulo em sua carta aos Coríntios nos provoca neste sentido. Será que glorificamos a Deus com nosso corpo, com a inteireza de nosso ser? Paulo ainda nos lembra que o martírio de Jesus foi um preço muito alto.

 

Somos tempo do Espírito Santo, somos continuadores e cuidadores da criação divina. Cuidemos para não fazermos uma união ilegítima que fere com nossa dignidade de filhos/as de Deus. Jesus é nosso irmão, é nosso companheiro de caminhada, que não O traiamos pelo caminho.

 

A iluminação bíblica do ENPJ deste ano é “Sou Eu que estou falando com você” (Jo 4, 26). Escutemos então sua voz que nos fala e aquece o coração, deixemos fluir a seiva da vida, façamos florecer, a Festa do Bem Viver é para todos/as. Txai!

 

 

Por Pedro Caixeta

CEBI GO

Coordenador Nacional da PJ (2006 – 2009)

[i] Como propõe a metodologia do 12º ENPJ.

[ii] Jesus, Cristo, Jesus Cristo, Filho de Deus, Filho do Homem, Rei, Senhor, Messias, Emanuel, Juiz, Principe da Paz, Pão da Vida, Redentor, Bom Pastor, Salvador, dentre tantos outros.

Nenhum Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

 Pastoral da Juventude

Site oficial da Pastoral da Juventude, organização de jovens ligada à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB